Intimamente ligada à história e tradições da região, a indústria da panificação e seus derivados tem-se vindo a desenvolver em Valongo ao longo dos tempos. Dos produtos destacam-se a regueifa e os biscoitos, cuja fama cedo se difundiu pelo norte e mais tarde por todo o país.

Foi neste ambiente de grande identidade valonguense associada à panificação que, em 1874, surge uma fábrica de biscoitos por sociedade entre António de Sousa Malta Paupério e Joaquim Carlos Figueira, tomando por designação “Paupério & Companhia”. Embora haja referências a prémios atribuídos a produtos Paupério em datas anteriores à fundação desta nova sociedade, certo é que, pouco tempo depois da sua constituição, foram atribuídos prémios em Exposições Internacionais, nomeadamente em Filadélfia (1876), Palácio de Cristal (1877?) e no Rio de Janeiro (1879).

 

No princípio, a empresa acumulava a produção de biscoitos com o fabrico de pão, a moagem e comercialização de cereais. Só mais tarde se dá a dedicação exclusiva ao fabrico de bolachas e biscoitos. O registo da marca “Paupério”, que remonta ao início do século XX para as bolachas e biscoitos desta fábrica, atesta a importância e a exclusividade destes produtos que passaram além-fronteiras até às Províncias Ultramarinas de Angola, Moçambique e Guiné.

Em 1974, ano da revolução de abril, a empresa comemorou o seu centésimo aniversário. Atualmente é gerida pela 6ª geração da família Figueira, mantendo uma linha de biscoitos tradicionais com as mesmas receitas utilizadas desde a sua criação.

A tecnologia utilizada é ainda muito artesanal, sendo alguns dos equipamentos autênticas peças de museu. No entanto, tal facto nunca constituiu entrave à elevada qualidade dos seus produtos. A empresa implementou um rigoroso sistema de segurança alimentar baseado nos mais exigentes princípios do HACCP que, juntamente com os recentes investimentos na modernização dos processos de embalamento, oferecem uma garantia de qualidade aos clientes e consumidores finais.

A empresa assegura algumas dezenas de postos de trabalho e a distribuição atinge o seu máximo no período de setembro a abril, com particular destaque para as épocas festivas do Natal e da Páscoa. A Fábrica Paupério mantém a tradição de apresentar como a sua melhor publicidade a garantia de produtos de alta qualidade, conquistando assim o bom nome e a preferência de que goza e que sempre tentará manter.